Brasil lidera taxa de contágio por coronavírus, diz estudo; SP vai endurecer quarentena

O Imperial College de Londres e a Universidade de Sussex fizeram um levantamento que coloca o Brasil como o país com avanço mais rápido do novo coronavírus entre 48 nações. Os resultados publicados na quarta-feira (29) dão conta de que o Brasil teve uma média de 2,81 no número de reprodução do vírus. Para se ter ideia, Itália e Espanha – ambos epicentros da doença na Europa – tiveram média de 0,67 e 0,62, respectivamente.

A quantidade de pessoas mortas pela covid-19 disparou na última semana de abril no país sul-americano. O Brasil teve duas noites seguidas com mais de 400 óbitos confirmados, puxando o total de mortos pelo vírus para 5.466. As mortes contabilizadas apenas entre domingo e segunda-feira representam aumento de 60%.
O estudo do Imperial College aponta que a falta de alinhamento político entre governo federal e representações dos estados da federação ajudam no crescimento da curva, principalmente pela ausência de orientações uniformes sobre a importância do isolamento social, apontado como medida essencial por especialistas e pela própria Organização Mundial da Saúde (OMS).
O Imperial College coloca o Brasil ao lado dos países que experienciam crescimento na taxa de infectados pelo vírus. Mesmo cenário vivido por Rússia, Canadá, Índia, Irlanda, México, Paquistão, Peru, Polônia.
5 mil mortos
Outro ponto da análise britânica que merece atenção é a quantidade de mortos. O Imperial College prevê que o Brasil contabilize 5.680 pessoas mortas na última semana do mês de abril. Se confirmado, o país teria mais de 10 mil vítimas da covid-19.
Especialistas afirmam que os resultados foram obtidos por meio da média entre a menor projeção de mortos (2.360) e o cenário com mais mortes (9.770). O Ministério da Saúde diz que são 5.017 mortes por coronavírus e uma alta de 7% na quantidade de óbitos no Brasil.
Os dados revelados mostram que a tentativa de alguns governos de flexibilizar o isolamento social será impedida pelo vírus. Em São Paulo, que segue em quarentena até pelo menos o dia 11 de maio, o papo é de que o afrouxamento das regras de distanciamento está fora de questão.
O secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido, disse à TV Globo que a cidade de São Paulo terá a quarentena prorrogada. “Já há uma decisão tomada, nós não temos como relaxar as medidas de isolamento a partir do dia 10 de maio. Na capital é absolutamente impossível fazermos isso, ao contrário, nós estamos iniciando uma discussão na prefeitura para que a gente possa fortalecer algumas dessas medidas para que a gente consiga fazer com que o isolamento na cidade possa crescer desse patamar de 48%”, salientou.
Oficialmente, a capital paulista tem 1.456 mortos até a noite de quarta-feira (29). A prefeitura pretende ainda bloquear vias da cidade para diminuir o trânsito de pessoas. As restrições devem ser aplicadas em bairros com alto índice de mortes, caso da Brasilândia, na zona norte, que teve 81 óbitos até 24 de abril.

fonte: MSN
Brasil lidera taxa de contágio por coronavírus, diz estudo; SP vai endurecer quarentena Reviewed by Barra FM on 30.4.20 Rating: 5
Direitos reservados Barra FM © 2021
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Barra FM. Tecnologia do Blogger.